O Brilho das Estrelas

O Brilho das Estrelas tem um capa bonita que deixa antever muito do desenrolar da história. De facto, Debbie Reynolds não deixou muita margem à imaginação pois responde a todas as dúvidas do leitor na página seguinte.

Um romance bonito, bom para ler à lareira, no inverno, numa noite, o que é incontornavelmente positivo pois poucos livros, hoje em dia, têm menos de 150 páginas. Por outro lado e tentando não estragar a leitura de quem o deseje fazer mais tarde, faz lembrar os romances de capa azul que a minha avó devorava mas adaptados aos tempos modernos. Os mesmos clichés, os mesmos homens, torturados e doces ao mesmo tempo, e mulheres independentes que, no fundo, querem ser felizes…

Eu, após a leitura, quero ir ao Alaska. Não para conhecer homens viris mas para ver a Aurora Boreal… Marotas!!!

Advertisements
%d bloggers like this: