Deuses de dois mundos – PJ Pereira

PJ Pereira está muito longe do meu mundo ou o meu mundo está demasiado longe da mitologia brasileira e africana. Isto não significa que não seja um bom livro, simplesmente obriga o leitor perdido como eu a lutar mais e a forçar-se a compreender tanto quanto lhe é possível. Esquece o familiar e introduz-te numa dimensão desconhecida de deuses e homens.

Para já, desconheço a mitologia brasileira. A última novela que li foi Tieta do Agreste e o meu escritor favorito é Jorge Amado que não entrava em detalhes sobre essas questões. Por outro lado, a forma como foi escrito, numa dualidade constante, fez com que no início me tenha perdido e tivesse de voltar para trás e reler (o que não foi de todo negativo, pois apanhava outras nuances que me escaparam à primeira leitura.

Se aconselho a leitura, claro que sim. Nem que seja para depois poderem dizer que era díficil ou para contraporem o que escrevi!

Advertisements
%d bloggers like this: