Chloe & Theo

Recebi convites pela Mais Educativa para ir ver este filme. Confesso que me parece que falta algo para ser um blockbuster mas não é, infelizmente, disso que se trata. Não é um filme excelente, não percebemos porque é que a Dakota Johnson não lava a cara mesmo quando está a dormir no hotel chinês, porque é que a Mira Sorvino não tem um papel mais pungente e acima de tudo porque a mensagem não foi transmitida de forma mais eficiente. Diria que é uma espécie de Crocodile Dundee meets um realizador de documentários ambientais na versão sobrevivência com o mínimo de dinheiro possível.

Valeu pelos efeitos de animação a contar a lenda Inuit, pelo confronto civilizacional entre os Inuit e os Nova Iorquinos. Na realidade, poderia ter sido um habitante indígena de qualquer continente cujos velhos modos de vida estão a ser ameaçados pela forma exaustiva com que nós, os ditos povos civilizados, estamos a acabar e a destruir os recursos de todos.

É um filme excelente para debater com jovens, são eles os herdeiros de uma terra a morrer e de um sol prestes a vingar-se dos humanos. Professores de Ciências, Biologia, Ecologia e Cidadania peçam às escolas este filme para conversarem com os vossos alunos. Não se trata apenas de ecologia mas de valores, o amor ao próximo, os ideais, a capacidade de mudarmos o mundo começando com as crianças para que fims como os do filme não voltem a acontecer… Foi um filme mas bem podia ser a realidade.

 

 

Advertisements
%d bloggers like this: