Recebi convites pela Mais Educativa para ir ver este filme. Confesso que me parece que falta algo para ser um blockbuster mas não é, infelizmente, disso que se trata. Não é um filme excelente, não percebemos porque é que a Dakota Johnson não lava a cara mesmo quando está a dormir no hotel chinês, porque é que a Mira Sorvino não tem um papel mais pungente e acima de tudo porque a mensagem não foi transmitida de forma mais eficiente. Diria que é uma espécie de Crocodile Dundee meets um realizador de documentários ambientais na versão sobrevivência com o mínimo de dinheiro possível.

Valeu pelos efeitos de animação a contar a lenda Inuit, pelo confronto civilizacional entre os Inuit e os Nova Iorquinos. Na realidade, poderia ter sido um habitante indígena de qualquer continente cujos velhos modos de vida estão a ser ameaçados pela forma exaustiva com que nós, os ditos povos civilizados, estamos a acabar e a destruir os recursos de todos.

É um filme excelente para debater com jovens, são eles os herdeiros de uma terra a morrer e de um sol prestes a vingar-se dos humanos. Professores de Ciências, Biologia, Ecologia e Cidadania peçam às escolas este filme para conversarem com os vossos alunos. Não se trata apenas de ecologia mas de valores, o amor ao próximo, os ideais, a capacidade de mudarmos o mundo começando com as crianças para que fims como os do filme não voltem a acontecer… Foi um filme mas bem podia ser a realidade.

 

 

Anúncios
Posted by:Silvia Reis

Former Higher Education Teacher, now working as a freelance translator and a full time mom...