Why be happy when you can be normal

Esta autobiografia de Jeanette Winterson é uma leitura leve sobre uma escritora bastante conceituada inglesa, confrontada com a sua situação de filha adotiva, o relacionamento com os pais e a procura já tardia pela mãe adotiva.

É uma obra bastante forte sobre o questionar do quem somos, de relações inter-parentais e o caminho que como adolescente teve que tomar para sobreviver, formar-se em Oxford e tornar-se a escritora conceituada que é hoje. Criada no norte de Inglaterra, numa zona industrial, com uma mãe neurótica e infeliz, um pai que se refugia no trabalho e sentindo-se diferente desde pequena. A descoberta da sexualidade (homosexualidade) não aceite pela mãe faz com que tenha de sair de casa aos 16 anos e começar a lutar para sobreviver.

Para além disso, a forma como ela devora livros é exatamente igual à maneira que eu devorei os livros da biblioteca da minha terra, alfabeticamente até perceber que poderia saltar alguns e movimentar-me para outros lados, encontrando em cada um daqueles livros uma maneira de sair dali e viajar, entrar noutros mundos.

Não conhecia a autora e esta obra foi-me oferecida por uma grande amiga minha que é fã de toda a obra. Gostei muito e é uma das que pretendo continuar a ler no futuro. Alguém já conhece?

Advertisements
%d bloggers like this: