O Pequeno Buda

Depois de rever 7 Anos no Tibete, apeteceu-me voltar à estante e reler O Pequeno Buda de Gordon McGill. E se de repente um tibetano desconhecido lhe batesse à porta e lhe dissesse que o seu filho é a reencarnação de um monge budista brincalhão e vos convidasse a visitar o Butão para confirmar quem seria a reencarnação do monge.

Gosto do livro por vários motivos. O primeiro é o facto de a história de Jesse se cruzar com a história de Siddartha. O segundo é que é um livro que inspira boa disposição apesar da proposta inusitada e, em terceiro lugar, vamos aprendendo ou relembrando mais algumas pormenores sobre budismo.

Consegui, com a distância da idade, ler o livro de forma diferente em relação ao que fiz como adolescente. Na altura, o budismo tinha uma dimensão mística e o livro era quase mágico. O princípio da reencarnação, o caminho para a felicidade e a libertação do sofrimento é verdadeiramente interessante e o livro retrata estas questões de forma elegante e sem ser demasiado frontal.

Se puderem, aproveitem para ler, independentemente do credo que professam e vejam o filme que tem o Keanu Reeves!

Advertisements
%d bloggers like this: