O Diabo na Cozinha – Divulgação

 

Para quem gosta de biografias e de culinária, este chefwhiteparece ser um bom livro para começar 2017. A cozinha é um sítio diferente para casa tipo de pessoa, tem um significado próprio. Para mim é fazer bolos em dias de stress, para outros é organizar jantares de amigos magníficos e para um outro grupo é um emprego, com maior ou menor vocação. Tive o prazer de, ao longo de dez anos, partilhar o espaço de grandes Chefs portugueses, em variados eventos, na parte de organização e foi sempre um prazer ver estes “criativos” em ação. O maior evento foi o evento a 07 de julho de 2007, As 7 Novas Maravilhas do Mundo, com o Chef Manuel Boia, que se manteve bastante calmo dentro das circunstâncias. Outros reagiam de forma diferente mas a verdade é que ser Chef, aspirando a estrelas Michelin, é uma profissão de alto risco, sob muito stress pela perfeição num espaço de tempo limitado e onde um pequeno erro pode ser um enorme fiasco. O Chef Marco Pierre White foi o primeiro Chef britânico a receber três estrelas Michelin, um dos prémios mais cobiçados no mundo da Gastronomia. Para além disso, as suas apresentações eram muito mais do que um experiência gastronómica, eram um verdadeiro espetáculo de circo… Para tentar perceber melhor o caminho que ele tomou e que o levou a devolver as estrelas e dedicar-se ao que gostava realmente de fazer. Para vos aguçar o apetite aqui fica a sinopse retirada do site da Editora Quetzal:

Sinopse
Aclamado como o primeiro chefe rock-star britânico, Marco Pierre White foi o homem que transformou a arte de cozinhar numa coisa sexy. O seu temperamento na cozinha é lendário. Funcionários irritantes eram atirados para o caixote do lixo, e clientes para a rua. Porém, o mais rude dos chefes londrinos foi também um herói da classe trabalhadora que encantou estrelas e aristocratas. Começando com um momento determinante, a morte da mãe quando ele tinha apenas 6 anos, Marco relata, com comovente honestidade, o turbilhão da sua vida até chegar ao topo. De grande restaurante em grande restaurante, mostra-nos a pressão e o trabalho árduo que o levaram a ser o primeiro chefe britânico – e o mais jovem do mundo – a ser galardoado com três estrelas Michelin, e os bastidores dos melhores restaurantes: o drama, a coação, as travessuras e as lutas.
Advertisements

One comment

  1. Chef rock estar e britânico. Senhor, o mundo tem pressa.

    Liked by 1 person

%d bloggers like this: