Nunca me Esqueças – Lesley Pearse – Opinião

Quando comecei a ler este romance a semana passada e se tenho bastante sono esta semana, a ele o devo. São 432 páginas de suster a respiração, não por ser um thriller mas porque queremos ler só mais uma página sobre Mary Broad. A forma como Lesley Pearse relata as horríveis condições de sobrevivência no Reino Unido e nos países que, tal como os portugueses, decidiram ocupar faz com que pense que hoje somos uns sortudos… A falta de higiene, de possibilidade de estudar, de penas pesadíssimas por furto ou prostituição, numa sociedade onde as saídas profissionais eram poucas ou quase nenhumas tiveram um forte impacto em mim como leitora, apesar de ser uma época que já conhecia. wp-1486935030890.jpg

Mary Broad era uma jovem aventureira que migra em busca de uma vida melhor. Infelizmente, como muitas, foi apanhada numa teia de má sorte construída em más decisões e companhia e foi condenada à forca. A única hipótese era ser deportada para uma Austrália ainda virgem e sem condições nenhumas, com mais condenados à forca e sem vontade de lutar por melhores condições de vida ao contrário de Mary. O casamento por conveniência, já depois de ter tido uma criança “sem pai”, ajudou-a a sobreviver mas a vontade de fugir para sobreviver levou-a a uma espiral de destruição que deixa o leitor desolado. Os actos de bondade são poucos e Mary acaba por sofrer as piores perdas que a podiam destruir completamente. Não conto mais para não estragar o final do livro mas se precisam de um bom banho de lágrimas para lavar a alma, este livro é um excelente catalizador. Mesmo que não precisem, não deixa de ser um bom livro. A estória de Mary Broad flui ao longo das páginas e sofremos muito com a mesma. Se querem ler um romance cor de rosa, deixem  Nunca me esqueças na prateleira… No meu caso, chorei que nem uma madalena nas últimas 150 páginas. Lesley Pearse faz um trabalho maravilhoso neste romance baseado em factos verídicos, mesmo com uma dose de ficção q.b..

Sinopse:

Naquele que seria o dia mais decisivo da sua vida, Mary – filha de humildes pescadores da Cornualha – traçou o seu destino ao roubar um chapéu. O seu castigo: a forca.
A sua única alternativa: recomeçar a vida no outro lado do mundo. Dividida entre o sonho de começar de novo e o terror de não sobreviver à dura viagem. Mary ruma à Austrália, à época uma colónia de condenados. O novo continente revela-se um enorme desafio onde tudo é desconhecido… como desconhecida é a assombrosa sensação de encontrar o grande amor da sua vida. Apaixonada, Mary vai bater-se pelos sonhos sem reservas ou hesitações. E a sua luta ficará para sempre inscrita na história.
Inspirada por uma excepcional história verídica, Lesley Pearse – a rainha do romance inglês – apresenta-nos Mary Broad e, com ela, faznos embarcar numa montanha-russa de emoções únicas e inesquecíveis.

Advertisements
%d bloggers like this: