O Laço Primordial – Leopoldo Guimarães – Opinião

wp-1485438612642.jpgSe procuram um livro fácil para ler, não o abram. Leopoldo Guimarães usa uma linguagem erudita de forma bem sucedida e os personagens são realisticamente bem construídos. Olívia, Ortiz, Flora farão companhia durante umas horas ou umas noites mas rapidamente quererão terminar o livro. Não se preocupem, no spoilers here.

O Laço Primordial de Leopoldo Guimarães, editado pela Lápis de Memória, faz-nos viajar entre o Alentejo, Lisboa e Madrid com uma leveza e facilidade enorme, através de um drama profundo que abalou a família e a separou ao invés de a unir. Olívia é uma personagem carismática, uma mulher forte, moderna e culta que encontra o amor, após ter desperdiçado outras oportunidades antes. As suas amizades, as suas relações familiares e amorosas são o cimento que unem as páginas deste livro.

Confesso que fiquei surpreendida ao ler as primeiras páginas. Não é comum encontrar um livro com uma linguagem tão cuidada e com uma preocupação tão grande em encontrar a palavra certa no momento certo. Como disse anteriormente, não é um livro fácil mas é uma boa leitura e isso é o que procuro no melhor amigo do humano a seguir ao gato!

Sinopse:

Olívia gostava dos prazeres mundanos. Divertia-se a satisfazer o interesse e a curiosidade mórbida dos representantes do sexo oposto, seduzindo-os em movimentos oscilatórios de aproximação e afastamento que tão bem controlava, despertando também, com isso, a inveja das mulheres…Dedicava um amor profundo a Flora, sua jovem sobrinha, protegendo-a dos segredos e mistérios que a “Herdade dos Quatro Caminhos” guardava, provocando o confronto dos protagonistas com os conceitos de impulso de vida e de morte e com o amor que afinal parece existir como uma corrente de energia universal que uns captam outros não…transparece o determinismo, a essência do Homem, a crise das civilizações, a angústia existencial, a curiosidade…tudo confluindo num final inesperado.

%d bloggers like this: