Viver em Portugal (VIP) – Cultura Livre 1.2 LX

Desde a geração em contato com a natureza do saber fazer, experimentar, saltar/correr ou trepar; dos filhos da geração da caixa mágica & rua sésamo; garotos das novas tecnologias da comunicação; miúdos conectados aos que já nem se desligam … Ao longo das últimas três décadas a educação dos filhos teve como parceiros predominantes a natureza, multimédia, era digital e gatgets. Depois de tantos anos presos ao ecrã, retidos nos monitores, a cultura encontra-se (de novo) de portas abertas ao seu público.

Não despedindo nenhum dos anteriores, viver e residir na cidade também nos apresentou “auxiliares”, acessíveis a qualquer visitante & turista, mas de alguma forma já complementares aos residentes da (grande) área metropolitana. Tirar uma selfie com a voz que nos acompanha pelas manhãs; ir ao cinema com o presidente; cruzar-me com ídolos e vedetas; almoçar com jornalistas e atores; ouvir, ver e rever os nossos oradores preferidos … tudo isto e muito mais está ao alcance de cada uma, basta sair do sofá.

Museus e Monumentos

Após aprovação na Assembleia da República a 25 de novembro 2016, as entradas nos museus e momentos nacionais voltam a ser grátis aos domingos e feriados entre o horário de abertura dos espaços e as 14 horas. O nosso problema: existem mais museus do que domingos num ano (Casa-Museu Dr. Anastácio Gonçalves, Museu de Arte Popular, Museu do Chiado – Museu Nacional de Arte Contemporânea, Museu Nacional de Arqueologia, Museu Nacional de Arte Antiga, Museu Nacional do Azulejo, Museu do Aljube, Museu Nacional dos Coches, Museu Nacional de Etnologia, Museu Nacional do Teatro, Museu Nacional do Traje, Palácio Nacional da Ajuda, Museu da Marioneta, Palácio Nacional de Mafra, Mosteiro de Jerónimos, Panteão Nacional, Torre de Belém; e aos domingos a partir das 14h o Museu Calouste Gulbenkian.

Os munícipes de Sintra, na posse de um comprovativo de residência, podem visitar de forma gratuita durante todo o dia os monumentos de Sintra, nomeadamente Palácios da Pena, Palácio da Vila, Monserrate,Castelo dos Mouros, Convento dos Capuchos e Palácio de Queluz.20160103_105450


A par destas possibilidades de visitar de forma livre com a família monumentos, palácios e museus, há ainda a celebrar duas importantes datas: o Dia Internacional dos Museus a 18 de maio 2017 com a organização de diversas atividades e a entrada livre ao longo de todo o dia em todos os Museus e Palácios da
Direção Geral do Património Cultural; e a 20 de maio 2017, a Noite dos Museus, em que todos os Museus e Palácios da DGPC têm entrada livre a partir das 18:00;

Passeios e Parques

locais a explorar numa escapadinha em família, numa tarde especial, nuns programas especiais para um piquenique, sesta, desanuviar ou comer um gelado propomos o Parque Eduardo VII, com cerca de 25 hectares de grandes áreas de jardim, um parque infantil e um miradouro; os Jardins do Parque das Nações (Passeio do Sapal, Passeio do Tejo, Passeio das Tágides, Passeio de Neptuno); Jardins da Torre de Belém; Jardim da Fundação Calouste Gulbenkian com um lago, riachos, caminhos e um anfiteatro ao ar museu-nacional-de-arte-antigalivre; Parque dos Moinhos de Santana com os dois únicos moinhos de vento ainda em funcionamento em toda a cidade de Lisboa, circuito de manutenção e de uma pista de skate; Parque das Nações (Estação do Oriente, Jardim do Cabeço das Rolas, Oceanário de Lisboa, Pavilhão Atlântico, Pavilhão de Portugal, Ponte Vasco da Gama, Pavilhão do Conhecimento).

Lisboa também é uma cidade para ser palmilhada com uma garrafa de água e sandochas, conhecer Lisboa implica perder-se em Alfama, Mouraria, Bairro Alto, Baixa Pombalina; percorrer o Campo Grande, Marquês de Pombal, Avenida da Liberdade, Rossio, Praça do Comércio, Santa Apolónia, zona ribeirinha até Belém (Igreja da Graça, Sé Catedral de Lisboa, Rua Garrett, Elevador da Sé, Funicular da Graça, Elevador de Alfama, Largo do Carmo, Miradouro da Senhora do Monte, Azulejos com mapa de Lisboa nos miradouros da Graça e da Senhora do Monte, Igreja de São Vicente de Fora, Feira da Ladra (desde 1903 a mais antiga feira da cidade, às terças-feiras e sábados); Palácio dos Condes de Barbacena e Jardim de Santa Clara; 45) Bairro de Alfama, Bairro de Martim Moniz ou Mouraria (dos mais antigos da cidade); Praça Martim Moniz; Praça Camões, Largo de Santa Luzia, Convento das Mónicas, Castelo de São Jorge, Galerias Romanas, Casa dos Bicos, Chafariz D’El Rey, Estação de Santa Apolónia, Calçada Portuguesa, Ascensor da Bica, Hospital das Bonecas, Ascensor da Calçada do Lavra (construído em 1884, o mais antigo da cidade); Praça da Alegria/Praça da Forca, Praça do Comércio & Terreiro do Paço, Arco da Rua Augusta, Estátua equestre de bronze de D. José, Praça de Touros do Campo Pequeno, Marquês de Pombal; Palácio Condes de Almada, Coliseu dos Recreios, Estação do Rossio, Elevador de Santa Justa, Rossio & Praça Dom Pedro IV, Praça dos Restauradores, Igreja de São Roque; Casa onde viveu Fernando Pessoa, Jardim e Miradouro de S. Pedro de Alcântara, Ascensor da Glória, Reservatório da Mãe d’Água, Aqueduto das Águas Livres, Assembleia da República, Jardim da Estrela, Basílica da Estrela, Cais do Sodré, Ponte 25 de Abril, Doca de Santo Amaro, Cristo-Rei em Almada, Mosteiro dos Jerónimos, Museu da Marinha, Centro Cultural de Belém, Padrão dos Descobrimentos, Torre de Belém,

Advertisements
%d bloggers like this: