“Diz-lhe que Não” – Opinião – Guest Post

A convidada desta semana é a Marta Chan do blog Viver a Viajar. A Marta é uma pessoa maravilhosa, de sorriso radiante que anda a espalhar alegria pelo mundo e partilha connosco as suas aventuras pelo mundo inteiro – mesmo inteiro! Se subscreverem a newsletter recebem um ebook cheio de boas ideias para poupar dinheiro para viajar… Eu, nós que adoramos viajar já começámos com algumas das sugestões. Visitem o blog e, já agora, sigam o Facebook. Em relação ao livro, só posso afirmar que fiquei curiosíssima!

—————————————————————————————————————————————

diz-lhe-que-nao

Tenho um fascínio enorme por livros mas as temáticas a puxar para o romantismo e amor não fazem parte dos meus temas preferidos. O “Diz-lhe que Não” faz parte desse rol, mas a autora é a Helena, a menina por detrás do blog The Styland  que eu tanto admiro e deliro com as histórias hilariantes partilhadas na rúbrica “O amor é outra Coisa”. Além disso, sou da opinião que o melhor dinheiro investido é a nível local e se for para suportar o trabalho de pessoas talentosas e que nos são familiares ainda mais!

Sobre o livro em si posso dizer que terminei em somente três dias. Este fenómeno só acontece quando estou extasiada pela leitura e a verdade é que todos os tempos livres que tinha eram gastos em mais um ou dois ou cinco capítulos.

Cada capítulo traz-nos um relato de uma história real com pessoas reais envolvidas. Somos levados a histórias de relações amorosas do mais surreal possível, desde homens que têm duas namoradas e elas descobrem, a homens que têm problemas sexuais e fazem-te sentir culpada, mulheres capazes de fazer as maiores barbaridades a outras mulheres com o objectivo de salvaguardar a pseudo-relação com o ex-marido, os encontros mirabolantes através do tinder, entre outras muitas histórias.

É impossível não nos envolvermos na leitura ao ponto de ficar com raiva de algumas personagens. A sério, Pesadelo do Tinder #2 que foste capaz de não levar dinheiro nenhum para um jantar e ainda pedes boleia para a outra margem? Este gajo fez-me rir que nem uma perdida pelo seu comportamento tão estranho, ficas a pensar, “há homens assim? Imensamente grata por nunca ter passado um destes pelo meu percurso amoroso”. Mas o Espanhol, ai o Espanhol, deve ser o rei dos cabrões! Esses gajos que não sabem o que querem então mentem com todos os dentes que têm na boca, sem pensar na outra pessoa, só neles próprios.

Como podem ver este livro faz-nos fervilhar por dentro, mas também nos arranca muitas gargalhadas, é incrível todo o bom humor que a Helena deposita nas suas palavras para quebrar um pouco a seriedade e até crueldade da situação.

Desenganem-se se pensam que este livro é para enxovalhar os homens e até mesmo as mulheres. No final podem contar com conclusões surpreendentes que vão te fazer relembrar as tuas relações passadas, episódios felizes e outros nem por isso, vais ficar com aquela sensação de liberdade “isto aconteceu-me e não sou a única”

“Talvez o Espanhol tenha sido arrebatador e o Pila Pequena assim-assim. Mas a verdade é que todos estes homens me inspiraram, mudaram, fizeram crescer e perceber, sem dúvida, quem sou e o que quero.”

Em jeito conclusivo, tenho a dizer – agarrem já o vosso livro se ainda não o fizeram. Helena esperamos ansiosamente pela continuação desta saga brilhante!

Advertisements

One comment

  1. Se estivesse em Portugal ia já amanhã comprar o livro😍

    Liked by 1 person

%d bloggers like this: