Regresso à Pequena Ilha – Wishlist e outras opiniões

Saiu recentemente mais uma pérola de Bill Bryson. Para quem gosta de viajar, como já perceberam que nós gostamos, Bill Bryson é incontornável. Não é um turista típico nem as suas aventuras iguais a tantas outras mas o que o torna verdadeiramente único é a forma como vê o mundo que o rodeia e que nos cativa imediatamente.

Li os originais e comecei por A Short History of Nearly Everything mas em versão audio e ainda em cassete! Foi a minha companhia e tornei a re-ouvir pois contém tanta informação que quando se levam crianças atrás, há sempre algo que nos escapa. Bryson pega em termos científicos e noutras questões relevantes mas potencialmente chatas e explica de forma mais interessante. Agora que releio isto, seria bom colocar os meus jovens a ler esta obra!

Em seguida, li Bill Bryson’s African Diary que apesar de curto é riquíssimo em termos da informação que contém, em especial, no meu ponto de vista a importância do papel das ONG neste continente.

Finalmente, li Neither Here Nor There que é um livro hilariante, apesar de já velhinho, sobre uma viagem pela europa por um estudante americano sem dinheiro – o próprio Bill Bryson. Lembro-me que me fartei de rir no comboio e que houve algumas pessoas a olhar para mim e não, não sou uma brasa… acho que era mesmo do livro!

Sinopse de Regresso à Pequena Ilha:

Em 1995, Bill Bryson fez uma viagem por Inglaterra com o intuito de explorar a  paisagem verdejante e agradável. Crónicas de Uma Pequena Ilha foi o resultado dessa viagem, um dos retratos mais precisos e hilariantes do Reino Unido alguma vez escritos. Duas décadas mais tarde, Bryson (que agora tem nacionalidade britânica) parte de novo para redescobrir o seu país adotivo. Ao longo destas páginas atravessa o território em linha reta e, pelo caminho, mostra-nos todos os pubs, vilas de pedra e fraquezas humanas.

Seja evitando um ataque de vacas em Torcross, perdendo-se na H&M em Kensington High Street ou, com maior gravidade, contemplando o futuro das maravilhas naturais da nação face a um desenvolvimento agressivo, Bryson guia-nos pelo velho e pelo novo com pormenores vívidos e um humor irresistível.

Irreverente, adorável e hilariante, Regresso à Pequena Ilha é um tributo ao seu país de adoção.

Advertisements
%d bloggers like this: