8 on 8: Desilusões Literárias

Ao longo da minha vida de leitora, não consigo dizer que tive muitas desilusões literárias, tendo em conta o número de obras lidas… Aliás, foi mais um exercício de voltar ao passado e esmiuçar o que não gostei e não foi nada fácil. Aqui ficam então os meus tesourinhos literários deprimentes.

O Memorial do Convento – Leitura obrigatória de liceu, nunca consegui terminar o livro. Foi o primeiro que não consegui terminar e sempre li tudo o que me aparecia à frente. Não consigo explicar porquê mas foi uma desilusão pois esperava que fosse uma leitura maravilhosa. Sem ser esse, li quase tudo de Saramago e gosto muito!

A Vida que podemos Salvar de Peter Singer é um pequeno livro sobre como uma pequena contribuição pode pôr fim à pobreza no mundo. Infelizmente, considero que é mais utópico do que inspirador.

The Egyptologist de Arthur Philips, sobre um egiptólogo que encontra uns hieróglifos pornográficos e que pode perder a sua fortuna e noiva mas o livro começa a tornar-se maçador pela forma como ele tenta interligar a história com a de um outro detective.

Coaching de Maggie João é um bom livro, como guia sobre o que é ser coach ou  gestor pessoal. Esperava que fosse um pouco mais profundo.

Nos Teus Braços Morreríamos  de Pedro Paixão – Lembro-me vagamente que achei o livro demasiado deprimente e não correspondia ao grande hype da altura.

O que nos faz Felizes de Carol Graham é um estudo transnacional sobre a felicidade e os factores que contribuem para a mesma. É um estudo um pouco aborrecido  e, embora esclarecedor, pouco inspiracional.

Sarah’s Keys de Tatiana de Rosney conta uma história muito interessante e que prende o leitor, sobre a II Guerra Mundial. Infelizmente, o fim é uma desilusão muito grande (para mim).

O Sucesso é Ser Feliz de Roberto Shinyashiki não faz promessas, não dá diretrizes nem é um elixir mágico que se toma e se torna imediatamente feliz. É apenas um mapa semi obscuro que ajuda a fazer o próprio caminho, caso seja esse o seu desejo.

Advertisements

6 comments

  1. Embora não tenha lido esse livro dele, mas sou muito fã do trabalho filosófico do Peter Singer, principalmente na questão dos Direitos dos Animais.

    Liked by 1 person

    1. Também tenho seguido o trabalho e gosto mas neste caso o problema foi a dicotomia realidade vs utopia! Obrigada pela partilha!

      Liked by 1 person

  2. Não conhecia nenhum da lista. Ultimamente li Boris Vian e amei.

    Liked by 1 person

    1. Ainda não li mas vou ficar atentar 🙂

      Liked by 1 person

  3. Olá!! 🙂

    Confesso que, à exceção de Memorial do Convento, nunca tinha sequer ouvido falar dos títulos dos livros que escolheste para desilusões literárias! 🙂

    Gostei de conferir… Ah, e não quero la muito ler o do Saramago… Mas o 12º exige.. hehe

    Boas leituras!! 😉
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    Liked by 1 person

    1. O que tem de ser tem muita força – foi o único que estudei com os livrinhos de bolso da europa américa

      Like

%d bloggers like this: