Um menino com nome de legume: Courgette

Onde nos encontramos quando um papagaio de papel e uma lata amarrotada de cerveja é a melhor companhia de uma criança? Enternecedor, carinhoso, afetuoso, sobre o amor incondicional, relações familiares … e crianças. Um filme para adultos compreenderem o que em tempos foram: crianças.

Quando as crianças desarrumam tudo, não fazem nada, são uns constantes imbecis, não nos apercebemos que sofrem connosco, que os problemas dos adultos também os afetam.

“Às vezes brincávamos”

Ícaro/Courgette que se vê de um dia para outro a viver num orfanato, é uma dessas crianças que nasceu para uns pais que certamente tinham as melhores das intenções, muitos desejos e sonhos por realizar e, por uma ou outra razão, acabam por crescer como filhos sem pais, órfãos de pais vivos.

Um papagaio de papel e uma lata amarrotada de cerveja

Em vez de viverem com os seus pais, vivem com as suas memórias. Na sua inocência infantil, no seu percurso de descoberta e autodescoberta realizam obras maiores do que as suas pequenas mãos e estaturas (deveriam) permitir.

A minha vida de Courgette“, um filme de animação em “stop motion” adaptado do romance “Ma vie de Courgette “ do autor francês Gilles Paris sobre crianças, horrores, tristeza, incertezas, inseguranças …, mas também de alegrias, brincadeiras e esperanças. Um filme a não perder em qualquer idade.

a-minha-vida-de-courgette

Advertisements

One comment

  1. Não li a sinopse do filme mas chamou-me a atenção acabei por ir ver o Rei Arhur. Parece-me uma história interessante.

    Like

%d bloggers like this: