Um local dos 8 aos 80 em LXPARQUE EDUARDO VII

Marquês do Pombal, Amália Rodrigues, Carlos Lopes, Keil do Amaral, 25 de Abril, (Avenida e Parque da) Liberdade, a bandeira das Quinas, Calçada Portuguesa, Rio Tejo, Castelo de S. Jorge, Baixa Pombalina, sete colinas, Serra da Arrábida, Monsanto, (Parque Hortícola e Jardins de) Campolide, Terramoto, Cruzeiro do Sul, Sagres, Ala dos Namorados na Batalha de Aljubarrota, Batalha de Ourique … Como é que um espaço nomeado a partir de príncipe libertino que se tornou num monarca “Pacificador”, filho da Rainha Vitória e do Príncipe Alberto de Saxe-Coburgo-Gota, consegue reunir tanta história e simbologia nacional?

À primeira vista e mesmo para quem passa ali por este local todos os dias (370 mil carros por dia) o Parque Eduardo VII aparenta não ter muito para contar: uma faixa verde central coberta de relva, ladeada por um passeio de calçada portuguesa, uma estufa-fria criada nos anos 30 e um pavilhão destinado a eventos culturais e desportivos, culminando no topo com uma enorme bandeira de Portugal.

Sugestão de amigo: a melhor maneira de iniciar a visita deste parque é pela zona Norte/mais alta do parque, deixando o carro no parque de estacionamento do Palácio da Justiça: com espaço para mais de mil carros, aos sábados e domingos o estacionamento é gratuito. Atravessando de forma segura através da ponte ciclopedonal sobre a Rua Marquês da Fronteira do Corredor Verde de Monsanto que liga o prado do Palácio da Justiça e o Jardim Amália Rodrigues. Uma vez atravessada a ponte, somos envolvidos por um espaço verde e algumas árvores; um restaurante com esplanada e um lago para desfrutar uma magnífica tarde sem a preocupação de confecionar o almoço ou despachar louça usada; a hasteada bandeira das Quinas com 20 metros; Monumento ao 25 de Abril, da autoria de João Cutileiro em 1945, inaugurado em 1997; e um miradouro com uma excelente vista panorâmica sobre a cidade, a Praça Marquês do Pombal, a Avenida da Liberdade, o Castelo de S. Jorge, a Baixa Pombalina, o Elevador de Santa Justa, através do rio Tejo, até à Serra da Arrábida.

Nas imediações encontra-se o parque inicialmente denominado Parque da Liberdade e rebatizado em 1903 com o nome de Eduardo VII, monarca filho da Rainha Vitória e do Príncipe Alberto de Saxe-Coburgo-Gota que ficou na história como o “Pacificador“, com uma faixa central coberta de relva, ladeada por um passeio de calçada portuguesa, da autoria do arquiteto Keil do Amaral; do lado direito a Estufa Fria, construída nos anos 30, com diferentes percursos através de lagos, cascatas, regatos, estátuas e centenas de plantas diferentes oriundas de todo o mundo distribuídas pelas estufas fria, quente e doce; e do lado esquerdo o Pavilhão Carlos Lopes, construído em 1932, que apresenta nas suas fachadas exteriores painéis de azulejos, em azul e branco, produzidos pela Fábrica de Sacavém, em 1922, representando cenas da História de Portugal com temas dedicados a Sagres, à Batalha de Ourique, à Ala dos Namorados na Batalha de Aljubarrota e ao Cruzeiro do Sul.

Seguindo o nosso olhar sobre lisboa deparamos com o imponente Monumento a Sebastião José de Carvalho e Melo, Marquês de Pombal e ministro do Rei D. José, inaugurado a 13 de Maio de 1934 constituído por um pedestal com 40 metros de altura onde assenta a estátua em bronze de corpo inteiro do estadista e com o seu braço assente sobre o dorso de um leão, que simboliza a força e determinação da realeza. Posteriormente em volta da sua base foram “desenhadas” sob a calçada portuguesa as armas de Lisboa: dois corvos pousados numa caravela.

No que respeita à estátua de Marquês de Pombal, há ainda a destacar diversas esculturas alegóricas: Marianne, «Lisboa reedificada», com o símbolo das quinas na proa do navio, liderando-a a Nação; Minerva, a deusa da Ciência, da Indústria e das Artes; o Terramoto; e três grupos escultóricos que evocam as reformas levadas a cabo pelo Sebastião Carvalho e Melo, a reconstrução da cidade de Lisboa, a agricultura e a pesca.

Atualmente o Parque Eduardo VII, apresenta mais do que restaurantes, esplanada, coreto, estátuas, pormenores na calçada portuguesa parque de merendas, parque infantil, campo de ténis, ginásio, piscina, lago com carpas, equipamento de fitness e o busto de Eduardo VII de Inglaterra, oferecido ao município de Lisboa pela British Historical Society of Portugal, colocado junto à Estufa-fria e inaugurado a 27 de Março de 1985 pela Rainha Isabel II de Inglaterra.

O Parque Eduardo VII apresenta é também ponto de passagem do Corredor Verde na cidade de Lisboa, que liga este espaço a pé e de bicicleta à Praça dos Restauradores, Avenida da Liberdade, o prado do Palácio da Justiça (área fitness, parque de skates, miradouro), Jardim Amnistia Internacional (Parque Infantil do Jardim Amnistia Internacional e zona de merendas), Jardins de Campolide (Parque de Recreio Infantil e Juvenil, zonas de merendas e Parque Hortícola Jardins de Campolide) e o Parque Florestal de Monsanto (Parque do Calhau com área fitness, miradouro, zona de merendas).

 

Advertisements
%d bloggers like this: