Emoji: O Filme

Nascer para reger-se de acordo com o que é esperado fazermos, não desapontar, não sair da linha, nada de coisas “revolucionárias”, crescemos de acordo com as expectativas e tornamo-nos no que sempre sonharam que seríamos (nem mais, nem menos) … Textopolis e os Emojis estão prestes a sair da idade das trevas e abraçar a era moderna.

Anos e anos de evolução, conquistas e reconhecimento de justiça social são aqui transpostos para o universo das aplicações do telemóvel. Os Emojis, dignos da expressão “uma imagem vale mais do que mil palavras”, são pequenos carinhas, objetos, símbolos e figuras que nos satisfazem, completam e decoram as nossas mensagens ao telemóvel, Facebook, Twitter, WhatsApp, Instagram e outras redes sociais, com um enorme poder de expressividade de emoções como a felicidade, tristeza, regozijo ou frustração (entre milhares de outras expressões). Enquanto os Emojis ou emoticons expressam as nossas emoções, o filme de Tony Leondis (Igor, 2008, e Lilo & Stitch 2,2005) expressa/alerta para as emoções que estas pequenas figurinhas também têm.

Gene, o nosso emoji diferente, cuidadosamente “programado” para ocupar o lugar na sociedade, tal como os seus antepassados, vai surpreender a “pequena” cidade Textopolis com mais emoções do que inicialmente lhe era permitido. Envolvido em peripécias e aventuras, de aplicação em aplicação, Gene e os seus amigos, o ícone obsoleto do Hi-5 e a Rebelde, emoji revolucionária e hacker lá do sítio, vão ter que tomar as decisões e opções mais acertadas (“milhares de like ou um amigo a sério?”) para salvar Textopolis da total extinção.

Um bom filme para partilhar com os filhos!

Advertisements
%d bloggers like this: