Principais Problemas da Autocaravana

Para se habituarem, porque são recorrentes

Andar de autocaravana pressupõe dois principais problemas: decidir ♥ Qual o nosso percurso? e, no caso de se pretender atravessar a fronteira, escolher ♥ Qual é a fronteira que queremos transpor? Reparem, falamos em percurso e não em destino! Andar de autocaravana pressupõe estas pequenas diferenças. Não é o destino que se impõe, mas todo o “percurso”. Partindo de Lisboa, as alternativas por terra são norte, sul e este … Uma vez que no nosso primeiro outing de autocaravana percorremos a costa alentejana com o regresso pelo Algarve, desta vez deslocamo-nos para o norte. Duas semanas com uma casa sobre rodas decidimos incluir no nosso percurso Portugal & Espanha; Galícia & País Basco; Picos da Europa & Pireneus; monumentos, museus & história; e, predominantemente, praias marítimas ou fluviais.

Ultrapassado este primeiro obstáculo, ficamos com ♥ Qual é a fronteira que queremos transpor? Para desfrutar da paisagem, explorar as localidades, gozar das convidativas e cristalinas águas … as habituais vias rápidas (Valença do Minho, Vilar Formoso, Badajoz e “Vila Real de Santo António”) encontram-se vedadas. Ficamos com nomes tão sonantes como Nossa Senhora dos Degolados – Albuquerque; Pitaranha – Las Casiñas Altas; Rabaça – La Rabaza; Galegos – La Fontañera; Batocas/La Alamedilla; França – Calabor; Cisterna – Barxa; Lindoso – A Madalena (com a Capela de Santa Maria da Madalena no lado português); Vila Nova de Cerveira – Forcadela … valia a pena transpor todas, nem que fosse para poder dizer que já estivamos em terras de França em Portugal, que já saímos de Rabaça para entrar em La Rabaza ou fomos Degolados e sobrevivemos para entrar em Espanha. Nós escolhemos transpor a fronteira em Vila Nova de Cerveira, o que em km significa percorrer os 477km da Rota Lisboa – Vila Nova de Cerveira com uma ou duas paragens para pernoita. A principal dificuldade em encontrar um local para descansar encontra-se mais associada à grande diversidade de propostas, do que pela falta delas. Sugerem-se na Rota Lisboa – Aveiro a Figueira da Foz, Praia de Mira, Gafanha da Vagueira, Costa Nova, Barra, Aveiro e, mais para norte, na Rota Aveiro – Vila Nova de Cerveira as praias de Vila Praia de Âncora, Caminha, Moledo, Afife, Mindelo, Senhor da Pedra, Apúlia e Caminha, ambas as rotas com inúmeras sugestões para explorar, passear, fotografar e, principalmente visitar.

Transpondo a fronteira, em Espanha e terras de França e até ao percurso de regresso, apresenta-se todo um mundo novo na Rota da Galiza & País Basco entre Pontevedra, Santiago de Compostela, Finisterra, Gijon, Santander, Bilbau; Rota dos Pireneus, com Biarritz, S. Jean de Luz, Baiona, Pau, Lourdes; para regressar pelo ponto geodésico da Península Ibérica através da rota Saragoça & Madrid – Placência; e finalmente descer o Rota do Rio Tejo – Lisboa.


Iremos nos próximos dias falar com maior pormenor sobre estes percursos! Fiquem atentos!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *