Rota Lisboa – Aveiro

A visita pachorrenta de Autocarava de Lisboa a Aveiro

Respeitando a primeira regra de percorrer as estradas de autocaravana, devagar e sem pressas para apreciar a paisagem, com as suficientes paragens para esticar as pernas e refeições ☺ ou para encostar a autocaravana e pernoitar☻ em segurança e ao lado de outras autocaravanas (APP Park4Night).

Ao som da M80, realizamos a primeira paragem no ☺ Parque Linear Ribeirinho Estuário do Tejo, a um passo da estação da Póvoa de Santa Iria, para visitar o local já há muito tempo prometido e um rápido meio da manhã. Local com estacionamento fácil, percurso pedonal e trilhos de bicicleta com a extensão aproximada de 6000metros, com zonas de lazer para piqueniques, bebedouros, parque infantil e o núcleo museológico dedicado à cultura e tradições das avieiras, construções em madeira de pescadores que procuravam sazonalmente nas suas águas dos rios Tejo e Sado o alimento que o mar lhes não permitia. Aconselhamos a leitura do romance de Alves Redol “Os Avieiros”.

Percorrendo a IC2 e N1 subimos e passamos por ☺ Rio Maior, famoso pelas salinas naturais, raras no mundo e únicas no nosso país. Aqui pode-se extrair o sal bem longe do mar para fins culinários e terapêuticos, principalmente como esfoliante da pele.

Poucos quilómetros mais à frente, na margem esquerda do rio Lena, finalmente encontramos ☺ Batalha, a vila que surgiu em redor do Mosteiro de Santa Maria da Vitória, obra-promessa de D. João I em agradecimento pela vitória em Aljubarrota e que garantiu a independência de Portugal. Uma vez que as obras se prolongaram-se por mais de 150 anos é possível encontrar neste monumento marcas góticas, manuelinas e renascentistas, dignas de uma atividade  pedipaper fotográfica. Na vila é possível também visitar a Igreja Matriz, com um portal manuelino do século XVI; a Capela da Santa Casa da Misericórdia de estilo barroco/joanino do século XVIII; e a Ponte neo-gótica da Boutaca, localizada a poente do Mosteiro. Uma localidade digna de uma aula da história da arte ao ar livre.

As próximas paragens da Costa de Prata podem servir de passagem, paragem, percorrer de bicicleta ou pernoita.

☺ Costa de Lavos, com serviço de autocaravana gratuito (Rua Mestre Cardoso), extenso areal e todas as comodidades; ☺ Figueira da Foz, na margem direita do rio Mondego, com um extenso areal e percurso pedonal, zonas de lazer, parque, parque infantil e possibilidade de pernoita na ☻Avenida de Espanha ou na ☻Avenida Infante D. Pedro, ambos os locais ideais para visitar a cidade ou desfrutar e acordar à beira-mar; a ☺Praia de Mira com praias e lagoa para desfrutarem ou percorrer em toda a extensão através dos diversos percursos pedestres assinalados ou na Pista Ciclo-Pedonal (pernoita e para acompanhar o pôr de sol na ☻Avenida da Barrinha).

Já mais próximos de Aveiro apresentam-se as sugestões da ☺ Praia da Vagueira, com um amplo espaço de merendas & grelhados na Gafanha da Vagueira (Gafanha, antigos ilhéus onde eram recolocados os doentes leprosos quando as ondas do mar ainda quebravam às portas de Aveiro), serviço de caravanas gratuito (Rua do Governador) ou pernoita no amplo estacionamento ☻frente à praia onde ainda é possível acompanhar os pescadores nas areias da praia a praticar a arte da xávega, um tipo especial de rede na pesca de arrasto. Esta localidade encontra-se ligada por ciclovia à ☺Costa Nova e à ☺Barra. A localidade de Costa Nova, digna do mais bonito postal de férias devido às fotogénicas casinhas pintadas às riscas vermelhas, azuis, amarelas e cor-de-rosa alternadas com o branco ou tomar um café no local predileto de grandes nomes da nossa literatura nacional como Eça de Queirós, Guerra Junqueiro e Oliveira Martins, associados à “Geração de 70” e ao movimento do “realismo”,  um amplo jardim junto à ria da Aveiro com parque de merendas equipado com sanitários, minigolfe, campos de jogos e parque infantil; enquanto a Barra, com o seu extenso areal e comunidade piscatória, também nos presenteia com o farol mais alto de Portugal com los seus 62metros, na Península Ibérica somente ultrapassada pelo Farol de Chipiona. Cádis, com os seus 63 metros. Acordar com o grito das gaivotas? Na Costa Nova na ☻Avenida do Mar e na Barra na ☻Avenida José Estevão ou, a nossa sugestão predileta, na ☻Avenida D. Henrique, com um amplo parque, zonas de lazer, próximo do Farol e da Barra e o café Maravilhas.

Seria um crime passar por estas terras sem dar um saltinho à nossa pequena a Veneza portuguesa, ☺Aveiro. Com uma rica história, os seus moliceiros (embarcação tradicional de origem fenícia destinada a apanhar e transportar o moliço); andar de buga, bicicleta aluguer; fotografar os maravilhosos painéis da estação de caminhos-de-ferro; viajar no tempo e apanhar a automotora até Águeda; seguir o Canal das Pirâmides ou o Canal de São Roque até à Ponte de Carcavelos (a mais antiga ponte de Aveiro); observar & respirar as salinas, fotografar pirâmides de sal e degustarem-se com uma barrica de Ovos-moles de Aveiro – candidata nas 7 Maravilhas Gastronómicas de Portugal, ou uma bolacha americana & tripa de Nutella, Oreo, Doce de Leite … Ficar por mais do que um dia? Vai poder encontrar outros autocaravanistas na ☻Rua José Afonso, local com um amplo espaço verde, ou frente ao ☻Canal de São Roque, um saltinho do centro da cidade e com um parque com parque de merendas e parque infantil (cinco estrelas).

Advertisements
%d bloggers like this: