Dos Pirenéus à fronteira Lusa

Cortando a Espanha na Diagonal

Revendo o nosso “Diário de Bordo – Autocaravana” apercebemo-nos que nestes relatos não foi possível incluir todos os aromas e odores, brisa e ventos fortes, o sol abrasador e a refrescante aragem noturna, a referência a cada uma das minúsculas maravilhas que encontramos ao lado dos monumentos, museus, locais visitados que também nos surpreenderam neste “passeio”. Deixamos o alerta: andem de cabeça erguida, olhos atentos, olfato aguçado, apetite apurado.

No sopé dos  Pirenéus, na encruzilhada de Barcelona, Madrid e Valência encontra-se ☺ Saragoça. Cidade que deve o seu nome ao imperador romano César Augusto, Caesaraugusta, concilia entre as margens do rio Ebro, o tradicional do casco viejo ladeado por basílica, catedral, igrejas e palácios; e o moderno com extensos parques, piscinas, passeios pedestres & ciclovias.

☺ Saragoça moderna oferece um agradável passeio ou alugar umas bicicletas junto à zona ribeirinha até à zona do parque expo 2008 com vista sobre ☺ Torre da Água; ☺ Ponto do terceiro Milénio; ☺ Aquário; ☺ Jardim Botânico; ☺ Pasarela Monterola; ☺ Pavilhão Poente, diversos jardins, piscina e parques infantis. ☺ Saragoça histórica, detentora de inúmeros conciliadores exemplos da arte mudéjar e romana contém, como ex-libris, a monumental ☺ Basílica de Nuestra Señora del Pilar, dos séculos XVII e XVIII; a ☺ Catedral de São Salvador & ☺ Museu das Tapeçarias, o ☺ Museu das Belas Artes com obras de El Greco e Goya, filho de Saragoça; ☺ Plaza del Pilar; ☺ Palácio da Aljafería; ☺ Teatro Romano e o fantástico La Seo. Entre as diversas oportunidades para pernoita em Saragoça, sugerimos um dos estacionamentos no coração da Expo 2008 (☻ Paseo de los Pouentes & ☻ Calle Pablo Ruiz Picasso) ou do lado oposto da Basílica de Nuestra Señora del Pilar junto ao Parque del Tio Jorge (☻ Calle Palencia).

Atravessando Espanha na diagonal sugerimos realizarem o que de certeza já muitas vezes imaginaram, enquanto atravessam infindáveis localidades, paisagens pintadas alternadamente de amarelo e verde, margens banhados por rios, aproveitem para embrenhar-se por estradas e caminhos e descobrir a Espanha Rural, igrejas, monumentos, pontes, ruinas, torres, fortificações, castelos, parques e miradouros abençoados por maravilhosas vistas: Ariza –  Mirador del Castillo; Santa María de Huerta – ☺ Monasterio de Santa María de Huerta (☻ área de serviço para autocaravanas); Jubera – ☺ La Iglesia Parroquial de Santa Engracia; Esteras de Medinaceli – ☺ Arco de Triunfo romano; Trijueque – ☺ Antigua Iglesia De Nuestra Sra. De La Asunción, dos séculos XV e XVI (☻ pernoita no estacionamento/fantástico miradouro da igreja); Guadalajara – ☺ Palacio del Infantado de estilo gótico dos finais do século XV (☻ área de serviço, parque de merendas, equipamentos desportivos e piscina Paseo San Roque); e Alcalá de Henares, Alcalá (☻ perto do centro da cidade, Ronda del Henares). Antes de chegarem/passarem por Madrid, recomendamos o pequeno detour pela cidade natal de Miguel de Cervantes e local de uma das mais antigas universidades de Espanha.

A dualidade entre Cervantes e Universidade encontra-se presente em toda a cidade (universitária): a ☺ Universidade de Alcalá, que alberga o Colégio renascentista ☺ Mayor de San Ildefonso & Reitoria da Universidade, com os Patio de Santo Tomás de Villanueva, Patio de los Filósofos, Patio del Colegio de San Jerónimo e a Capilla Universitaria de San Ildefonso. A  Plaza de Cervantes, com uma estátua do ilustre filho no meio da praça, a antiga praça do mercado de Alcalá, a prefeitura, a Capilla del Oidor (que contém a reconstrução da pia batismal de Cervantes), a ☺ Casa Natal de Cervantes, com entrada gratuita, reconstruída de acordo com a época e localizada frente ao banco com as ☺ estátuas de Dom Quixote e Sancho Pança.

Entre uma e outra encontra-se a  Calle Mayor com a ☺ Catedral Magistral de los Santos Justo y Pastor, de estilo gótico dedicada aos dois mancebos aqui martirizados pelos romanos (sob os seus alicerces da sua cripta estão guardados os restos mortais destes santos); o ☺ Corral de Comedias, um teatro instalado num pátio rodeado por moradias; o Palacio Arzobispal, onde Isabel, La Católica, recusou a proposta de Cristóvão Colombo de se laçar à procura de um novo mundo; o ☺ Museo Arqueológico Regional & ☺ Convento Dominicano da Madre de Dios, gratuito, que retrata a história da Comunidade de Madrid desde a sua origem, do Paleozoico até a Idade Moderna; o ☺ Palácio Arcebispal & ☺ Convento de San Bernardo.

Finalmente, percorrendo as restantes calles somos apanhados de surpresa os inúmeros testemunhos de uma convivência pacífica entre cristãos, muçulmanos e judeus. Apesar destas comunidades terem ocupado distintas partes na cidade, hoje ainda visível através dos marcos com o limite de cada bairro e dos principais prédios de cristãos, muçulmanos e judeus.

Cada vez mais próximos da fronteira portuguesa, o caminho segue pela A-5 com inúmeras razões para encostar: Alcorcón – ☺ Castillo de Valderas; Móstoles – ☺ Parroquia Nª Sª de la Asunción; Navalcarnero – ☺ Iglesia de Nuestra Señora de la Asunción; Talavera de la Reina – ☺ Parque Jardines del Prado (☻ sombra, parque, parque infantil, serviços públicos, Calle Gregorio de los Ríos); Calzada de Oropesa – ☺ Convento de Calzada de Oropesa (áreas de serviço autocaravana, Camino de la Estación & Camino de Torralba); Casatejada –  Iglesia de San Pedro ad Vincula; e Plasencia com o ☺ Parque de la Isla com zona de merendas, serviços públicos e banhos (área de serviço em Carretera Valle & ☻ Calle Paseo Caño Soso, junto ao Parque de la Isla).

Boas viagens!

 

Advertisements
%d bloggers like this: