Em primeiro lugar, acredito que o vínculo entre mães e filhos possa ser igualmente forte se a mãe não conseguir amamentar o seu bebé. Acredito que muitos dos problemas da amamentação possam ser ultrapassados com a ajuda de alguém especializado. Acredito que é melhor um biberão do que uma mãe desesperada, a chorar, porque não consegue amamentar o seu bebé como desejava…

O paradigma da amamentação tem mudado muito ao longo deste último século e, mesmo nestes últimos anos também.Quando fui mãe pela primeira vez, há quase 16 anos, o pediatra ajudou-me a introduzir os alimentos com quatro meses. No caso do J., foi a altura ideal. Ele demonstrava muita curiosidade em comer e comia mesmo muito bem. Continuou a ser amamentado até aos nove meses e, nessa altura, fizemos a transição para o biberão, sem problemas, para que todos conseguíssemos ter uma noite completa de sono. A partir dessa altura, tomava um biberão com cerelac diluída e dormia das 9.00 às 9.00.

Com o N., passado seis anos, protelámos um pouco mais a introdução de alimentos e, com cerca de 5 meses, iniciámos a introdução dos alimentos, começando com a sopa e, logo de seguida, a fruta. Continuou a ser amamentado até aos dez meses mas depois devido à dificuldade que tinha, fome, pouco leite, acabou por passar para leite de substituição. Com ele foi muito complicado, porque era intolerante e não percebemos logo no início… Foram meses muito difíceis, mas ficará para outra história!

Há seis anos, quando nasceu o C. já era aconselhada a amamentação até aos 6 meses em exclusividade, o que foi excelente. Fomos fazer uma Road Trip por 5 países, entre os quais a Alemanha e o Lichtenstein. Não ter de levar comida de bebé e não me preocupar com isso foi excelente. Introdução da alimentação sem problemas, tudo bom e muito comilão! A partir dos nove, dez meses deixou de mamar e passou diretamente para o copo…

Se gostei de amamentar, claro! O meu corpo reage bem, nunca tive dores, mamilos em sangue, etc. Tinha que ter muito cuidado pois tinha tanto leite que receava estar no meio de uma aula com leite a pingar, só de pensar nos filhotes. Tive muita sorte. Há muitas mães que não o conseguem. Isso não as torna menos mães. Torna-nos humanas.

O facto de eu querer parar de amamentar a partir de certo momento, porque sentia necessidade de dormir e verificar que os meus queridos filhotes reagiram melhor assim, funcionou para nós. Ao longo destes dez anos, muita coisa mudou… até o meu amor pelos filhotes cresceu… Já era tanto e continuou a expandir-se!

Boa semana Mundial do Aleitamento Materno! Se não seguem o instagram do Mães.pt está na altura. Esta semana, várias mães dão o seu testemunho. Não percam e boas semana!

 

Anúncios
Posted by:Silvia Reis

Former Higher Education Teacher, now working as a freelance translator and a full time mom...

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s