A Babybox, um berço acessível que se transforma

Chegou recentemente a Babybox a Portugal. Lembram-se de uma notícia, há uns anos, de uma caixa que era oferecida à crianças que nasciam, na Finlândia. Essa caixa, que era um berço, foi essencial para muitas famílias e espero que venha a ser essencial por cá também. Visitem a página da Babybox para mais informações.

O bom desta caixa-berço é que é versátil. Enquanto os bebé couber é um berço, mas pode transformar-se numa caixa de arrumações, brinquedos ou o que desejarem, quando não for mais necessária. E até pode ser muito útil, para levar as coisas quando forem viajar com o bebé. Tem um baixo impacto no ambiente e pode ser reutilizado! É ou não sustentável?


A Babybox chegou a Portugal. Uma tradição que nasceu na Finlândia, nos anos 30, com o objetivo de proporcionar um início de vida mais igualitário para todos os bebés, bem como combater a baixa taxa de natalidade e a elevada taxa de mortalidade infantil no país. Este conceito, introduzido pelo Estado, veio ajudar as famílias mais carenciadas a terem um primeiro berço para o bebé e contribuiu para uma redução acentuada da mortalidade infantil (sendo atualmente uma das mais baixas do mundo) e da taxa de Síndrome da Morte Súbita do Lactente.

A Babybox é um espaço seguro para dormir, uma caixa de cartão usada como berço, com colchão confortável e firme, como um colchão para bebé deve ser. Tem a vantagem de poder ser utilizada como um segundo berço, que se pode usar em qualquer parte da casa. A BabyBox, pela sua dimensão e conceito minimalista, diminui a tendência dos pais colocarem objetos junto ao bebé como peluches e brinquedos (que podem ser um fator de risco para a SMSL).

Apesar de não haver dados científicos que comprovem que a caixa funcione de forma isolada, existem já evidências de que, associada à educação dos pais sobre práticas de sono seguras para os bebés, pode reduzir as taxas de práticas de risco, tal como concluiu um estudo da Temple University em Filadélfia (EUA), sobre A Síndrome da Morte Súbita do Lactente (SMSL) é a morte súbita e sem explicação de um bebé durante o primeiro ano de vida. É uma situação assustadora porque acontece sem aviso prévio num bebé aparentemente saudável. A maioria dos casos está associada ao sono e por isso é conhecida como “morte no berço”.

Ao contrário da maioria das doenças que são geralmente diagnosticadas através de manifestações clínicas, o diagnóstico da SMSL é feito a posteriori, após uma investigação exaustiva excluir outras causas de morte, nomeadamente sufocação acidental, maus tratos, problemas cardíacos, infecções e alterações metabólicas.

Sabe-se que existem bebés mais susceptíveis mas não existe nenhum factor de risco que por si só possa causar a SMSL. Por outro lado, existem vários factores de risco que podem contribuir, em combinação, para a morte de um lactente susceptível.

A ocorrência de morte súbita é rara no primeiro mês de vida, aumenta até um valor máximo entre os 2 e os 4 meses e cerca de 95% dos casos surgem antes dos 6 meses de idade. Acontece geralmente no domicílio, sendo o bebé encontrado sem vida no berço. Acredita-se que determinados fatores ligados ao ambiente do lactente, designadamente um acompanhamento pré-natal deficiente, más condições socioeconómicas, o tabagismo, a
posição de dormir, dormir com os pais ou dormir no sofá, são favorecedores da SMSL. Manter condições de segurança durante o sono do bebé é assim um importante fator de proteção.

Para já, nesta primeira fase, a Babybox Portugal ainda não contém artigos de puericultura tal como noutros países. O objetivo principal é a educação acerca dos fatores de risco para a SMSL e a promoção de práticas de sono seguras para os bebés, que são ainda muitas vezes desconhecidos pelos pais, principalmente os de primeira viagem.

Este é um produto totalmente produzido em Portugal, com materiais certificados e seguros para os bebés. Para além disso, é eco-friendly – quando já não puder ser usada como berço para o bebé, pode ser reutilizada como caixa de brinquedos, cama de bonecas ou o que a
imaginação da criança quiser que seja, podendo ainda ser reciclada.

Babybox

Para outros textos sobre sustentabilidade, espreitem estas publicações.

Qual a vossa opinião?

%d bloggers like this: