A Mamã não pede Desculpa!!!

A Mamã É que sabe - rubrica semanal

A Mamã não pede desculpas por ser mãe a tempo inteiro… Há já algum tempo que parece que, cada vez que digo que sou mãe a tempo inteiro, tenho que pedir desculpas.

Não vou pedir desculpas a todas as mulheres que lutaram para sair da cozinha. Não me sinto agrilhoada a ela. Continuo a sonhar com a igualdade de género, a igualdade de direitos. Continuo a sonhar com uma sociedade onde um homem ou uma mulher podem ser pais a tempo inteiro sem terem que pedir desculpa.

Gostava que tivéssemos um país onde os trabalhadores tivessem horários de trabalho que permitissem ir buscar os filhos à escola às 15.00. Gostava que os nossos filhos pudessem brincar com os pais todos os dias. Escolas e trabalhos a trabalhar em uníssono para que as nossas crianças fossem felizes.

Não escolhi ser mãe a tempo inteiro. Escolhi ser trabalhadora independente, freelancer como se diz hoje. No entanto, os meus horários são os horários dos meus filhos. As minhas prioridades são eles. Isso não mudou a minha maneira de ver o mundo. É realmente complicado gerir todos os horários!

No entanto, quero criar homens que saibam que as mulheres pertencem em todo o lado… Acima de tudo, todos devem fazer o que os torna felizes, independentemente do género. Sabem também que a mãe não é a escrava pessoal. Serem a minha prioridade não significa que faço tudo em vez deles. Faço tudo por eles mas eles têm que fazer a sua parte.

Cá em casa temos divisão de tarefas. A minha maior tarefa é a gestão de tudo, tempo, comida, casa, etc. É como se fosse o computador central! 5 horários, 5 necessidades diferentes… Não sou a senhora prendada com a casa imaculada. Sou mãe a tempo inteiro!

Quando posso, quando o calendário assim o permite, dou explicações ou faço traduções. E depois o voluntariado… Este ano, não consegui fazer tanto como desejava no Lisboa Incomum. Espero poder fazer mais para o ano!

Não peço desculpa por ser mãe a tempo inteiro. A minha licenciatura em Inglês e Alemão não foi desperdiçada. Tudo o que aprendi no mestrado na faculdade de Letras da Universidade de Lisboa também não. Todos os anos em que leccionei no ensino superior foram maravilhosos e lembrarei-me deles para sempre. Mas nada disso me define!

Sou mais que uma professora ou mestre. Sou uma mulher, mãe e gestora doméstica, com um doutoramento em multitasking maternal, com uma pinta de procrastinação. Foi a minha escolha. Não tem que ser a escolha de outros! Mas, por favor, quando alguém vos disser que é mãe a tempo inteiro não olhem para ela com pena ou com uma certa altitude ou atitude! Não julgar, apenas amar!

A mamã não tem que pedir desculpa por ocupar aquela função que considera ser a mais importante do mundo, pois não?

Qual a vossa opinião?

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE
%d bloggers like this: