Nolla meets Prado em Lisboa

Nolla

Conheci o Chef Carlos Henriques, do restaurante finlandês Nolla, há cerca de 13 anos. Já tinha tido a oportunidade de experimentar as suas iguarias, nessa altura. Continuam primorosas porém, agora, são mais pensadas.

Nolla

Ao desenhar o seu menu, o Chef Carlos Henriques (Nolla) coloca-se questões sobre como utilizar um produto no seu potencial máximo, sem perder sabor ou qualidade, reflectindo ainda no minímo desperdício.

Pode não parecer novidade a quem é da velha guarda e tenta utilizar os alimentos ao máximo. O que o torna diferente é fazer Fine Dining e ainda conseguir salvar/ usar/ reutilizar o que não parecia ser possível.

No dia 12 de novembro, António Galapito e os dois chefes do Nolla presentes mostraram como podemos ter zero desperdício na preparação e na confecção dos pratos que foram servidos no Restaurante Prado. Foi um evento memorável!

O Menu

Pão de trigo Barbela, Gleba

Um pão forte, morno e muito fofo, envolvido num fio de azeite. Esta é uma especialidade do Prado, cujo pão é preparado especialmente para eles. Se alguma vez venderem para fora, avisem! Têm aqui uma compradora.

Beterraba, emulsão das folhas & Codium



Este prato aproveita a beterraba, bem como as folhas da mesma, numa suave emulsão. Para contrastar com o sabor doce da beterraba, o codium, uma alga, confere aquele contraste salgado que torna o prato tão especial.

Pil Pil de Ervas & Ameijoa Boa do Algarve

Este Pil Pil, inspirado nos pratos bascos, é feito à base de uma gelatina com a pele do esturjão, com azeite e ervas aromáticas. A união com tomates verdes e ameijoa boa do Algarve , com aquele molho vibrante, tornou este prato ainda mais especial.

Couve coração, Massa Pimentão e Trigo sarraceno

Este é um prato perfeito para vegetarianos e não vegetarianos. A couve coração, grelhada e entre o tenro e com pontas crocantes, estava divinal. O molho de massa pimentão foi o mais delicioso que alguma vez provei e adoro massa pimentão. Por fim, o trigo sarraceno crocante tornava o prato absolutamente perfeito.

Cogumelos Selvagens e cultivados com Castanhas

Vários tipos de cogumelos, os boleto crus e laminados, com aquele sabor a cru, com camadas de outros cogumelos cozinhados e suculentos, colocados por cima de uma cama de puré de castanha. Poderia ser mais perfeito? Um prato a saber e a cheirar a outono!

Arroz de Dourada de mar, ovas e fígado.

Tudo foi aproveitado neste prato, as partes nobres do peixe, servido levemente braseado sobre um arroz cremoso.

Não consegui perceber todas insinuações papilares , mas posso dizer que cada garfada era um pedacinho de mar a velejar sobre a minha língua.

Gelado de Spent, merengue queimado & marmelos

Para terminar esta refeição em beleza, nada melhor do que um gelado de spent. Mas o que é spent? São os cereais usados para fazer cerveja artesanal no Nolla. Depois, com o que sobra dos grãos, fazem o gelado que tem um sabor delicado, abaunilhado. O merengue queimado assemelha-se a um leite creme, mas leve, como nuvem. Terminamos com marmelos e cujo sabor mais forte contrasta com a suavidade do gelado e do merengue.

Para além da belíssima refeição, a companhia foi óptima. Foi um prazer rever pessoas que já não via há anos e conhecer pessoas novas. Aos Chefs, os meus parabéns pelo magnífico jantar. A quem estava de serviço, foram excelentes, a simpatia, o bom humor e a forma célere como trabalhavam, foi um ponto positivo extra.

Outro exemplo de fine cuisine, mas mais beirã, é a Casa da Esquila.

Qual a vossa opinião?

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE
%d bloggers like this: